VII SIMELP 2019 – SIMPÓSIO: FORMAÇÃO DOCENTE E AS ITINERÂNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA EM CONTEXTO AMAZÔNICO BRASILEIRO
 

Home » Chamadas de Trabalhos » VII SIMELP 2019 – SIMPÓSIO: FORMAÇÃO DOCENTE E AS ITINERÂNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA EM CONTEXTO AMAZÔNICO BRASILEIRO

VII SIMELP 2019 – SIMPÓSIO: FORMAÇÃO DOCENTE E AS ITINERÂNCIAS DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA EM CONTEXTO AMAZÔNICO BRASILEIRO

30 de julho de 2018
 

Prezad@s,

informamos que as inscrições para submissão de comunicação em simpósio temático no
VII SIMELP – 2019 estão abertas entre o período de 15/07/2018 à 15/10/2018.

Nosso Simpósio intitula-se: FORMAÇÃO DOCENTE E AS ITINERÂNCIAS DE ENSINO E
APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA EM CONTEXTO AMAZÔNICO
BRASILEIRO

Coordenadoras:
Albina Pereira de Pinho Silva (UNEMAT/Juara)
Leandra Ines Seganfredo Santos (UNEMAT/Sinop)
Marília Lima Pimentel Cotinguiba (UNIR)

Aguardamos vossas submissões!

Resumo: Na atualidade, a formação docente e o processo ensino e aprendizagem de
Língua Portuguesa (doravante LP) caracterizam-se complexos desafios, dadas as
constantes demandas oriundas do processo de globalização, que, por sua vez, tem
fortemente mobilizado as instituições formadoras a rever suas funções sociais diante do
desafio de melhorar a aprendizagem dos estudantes no que se refere, especialmente, ao
desenvolvimento das capacidades de uso da língua/linguagem na modalidade oral e
escrita, sob a perspectiva de uma educação linguística preocupada com a valorização da
pluralidade cultural e com a diversidade de linguagens (ROJO, 2012). Sob essa
perspectiva, este simpósio almeja congregar pesquisas sobre os desafios e perspectivas
inerentes à formação docente, bem como diferentes ações viabilizadas no processo
ensino e aprendizagem de LP em contexto amazônico brasileiro. Importa-nos identificar e
discutir alternativas teórico-conceitual-metodológicas contextualizadas com as demandas
da sociedade e que contribuam para a formulação de políticas públicas educacionais em
uma perspectiva glocal. A ênfase privilegiará, ainda, o ensino de LP concebido como
língua de acolhimento para imigrantes. Posto isso, serão aceitos trabalhos que privilegiem
situações de aprendizagem e uso da língua em diferentes contextos sociais, uma vez que
essa temática integra a pauta das pesquisas recentes em Linguística Aplicada (MOITA
LOPES, 2006; CELANI, 2016). Para tanto, abarcará estudos filiados a distintas correntes
teóricas da Linguística Aplicada, sobretudo, aqueles mais recentes que afirmam que “na
modernidade recente, a linguagem, os textos, as línguas e as pessoas movem-se, cada
vez mais em sociedades hipersemiotizadas, o que tem levado a pensar as línguas, a
linguagem e o que somos no social em outras bases […] o campo aplicado e estudos da
linguagem enfrenta cada vez mais desafios para ser responsivo a tais mudanças” (MOITA
LOPES, 2013, p. 18-19).

Palavras-chave: formação docente; processo ensino e aprendizagem; língua portuguesa na Amazônia; língua de acolhimento.