PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE Coordenadora da CAPES participou de tombamento do Sítio Burle Marx

9 de agosto de 2021 / Comentários desativados em PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE Coordenadora da CAPES participou de tombamento do Sítio Burle Marx

Destaques Menores Notícias CAPES

Vera Beatriz Siqueira elaborou dossiê que explicou importância universal do espaço criado pelo paisagista brasileiro

Uma coordenadora da CAPES participou da equipe responsável pela candidatura do Sítio Burle Marx, no Rio de Janeiro, a Patrimônio Mundial da Humanidade. A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) tombou o espaço criado pelo paisagista brasileiro Roberto Burle Marx (1909-1994) na categoria “Paisagem Cultural”. A conquista veio na na terça-feira, 27 de julho, após a 44ª sessão do Comitê do Patrimônio Mundial, em Fuzhou, na China.

 

O processo teve início em 2015, com a inscrição da lista brasileira a Patrimônio Mundial. Vera Beatriz Siqueira, coordenadora de Área de Avaliação de Artes da CAPES, participou da elaboração do dossiê em que se explicou o porquê de o Sítio ser considerado de relevância universal. O documento foi entregue em janeiro de 2019.“O argumento central foi mostrar o Sítio Burle Marx como um laboratório botânico e paisagístico. No dossiê, comparamos, por exemplo, a jardins históricos chineses e jardins românticos alemães, inscritos como Patrimônios Mundiais, e a jardins modernos, não inscritos”, explica Vera, que é também professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em História da Arte da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

 

O Sítio Burle Marx fica em Guaratiba, na Zona Oeste da capital fluminense, sob responsabilidade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Cerca de 3,5 mil espécies de plantas tropicais e subtropicais compõem a paisagem, junto a espécies nativas. Também há espaço para obras como pinturas, artes indígenas e africanas e uma capela. “O Sítio é um lugar onde o Brasil moderno é feliz. Espero que o tombamento traga mais visitação, mais interesse e principalmente, faça o espaço alcançar o objetivo que Burle Marx almejava. Era um laboratório dele e que ele queria que fosse um centro de estudo e de pesquisa”, afirma Vera, que é, ainda, integrante do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) da CAPES.

 

Burle Marx

Roberto Burle Marx ficou mundialmente famoso pelos jardins que planejava. Ele criou um estilo contemporâneo com o uso de flora nativa do Brasil. As obras incluem os jardins do Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, e do edifício da própria Unesco. O paisagista teve uma breve relação com a CAPES em 1954, quando a Fundação financiou uma viagem sua aos Estados Unidos.

 

Sobre o Sítio

As visitas ao Sítio Burle Marx podem ser feitas das 9h30 às 17h30 de terça-feira a sábado, exceto feriados, e devem ser agendadas por telefone (21 2410-1412) ou e-mail (visitas.srbm@iphan.gov.br). O ingresso custa R$10 e o pagamento deve ser feito em dinheiro. A meia-entrada é concedida a pessoas acima de 60 anos e estudantes. Para mais informações, clique aqui.

 

 

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) é um órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC).
(Brasília – Redação CCS/CAPES)