A criação em 1984 da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Letras e Linguística — a ANPOLL — e a formação do GT Mulher e Literatura1, permitiu de certa forma que os pesquisadores legitimassem o tema e constituíssem um fórum para a apresentação e discussão de seus trabalhos. Também a criação da ABRALIC — Associação Brasileira de Literatura Comparada, em 1986, contribuiu para a reunião sistemática dos professores, constituindo-se também num espaço privilegiado de divulgação de pesquisas. O volume de estudos em torno do tema mulher em Congressos da ABRALIC pode ser verificado quando observamos que em três congressos — de 1987, 1988 e 1989 — dos 96 papers apresentados, 30 se referiam a essa temática, segundo levantamento de Heloísa Buarque de Holanda.Mas, mesmo antes da criação dessas importantes associações, grupos de professoras já haviam tomado a iniciativa de organizar, desde 1985, alguns encontros sob a denominação: Seminário Nacional Mulher.